sábado, 10 de agosto de 2013

20º dia – Restaurando a comunhão quebrada.

Sempre vale a pena restaurar relacionamentos.
Uma vez que a vida consiste em aprender a amar, Deus quer que eu valorize os meus relacionamentos e que me esforce para mantê-los, em vez de descartá-los quando houver um desacordo, uma mágoa ou um conflito.
Minha habilidade em me dar bem com as pessoas mostrará o meu grau de maturidade espiritual.
Se eu quiser a benção de Deus em minha vida e quiser ser conhecido como filho de Deus, devo aprender a ser um pacificador.
“Deus abençoa os que trabalham pela paz, pois eles serão chamados filhos de Deus”
Promover a paz não é evitar conflitos. Algumas vezes preciso evitar conflitos, em outras será necessário que eu crie conflitos e em outras que eu precisarei solucioná-los. E é por isso que preciso orar pedindo a direção continua do Espírito Santo.
A maioria dos conflitos tem suas razões em necessidades não satisfeitas. Algumas dessas necessidades só podem ser alcançadas por Deus. Quando eu espero que uma pessoa qualquer, um amigo, minha mulher, um chefe ou um membro da minha família satisfaça uma necessidade que somente Deus possa me atender, estou me candidatando à amargura e à decepção. Ninguém pode suprir todas as minhas necessidades, exceto Deus.
Preciso tomar a iniciativa para restaurar um relacionamento quebrado. Preciso usar mais os ouvidos do que a boca. Preciso admitir a minha parte no conflito.
A maneira como eu falo é tão importante quanto o que eu falo. Preciso cooperar para viver em paz com todas as pessoas.
A paz tem um preço. As vezes custa o meu orgulho, frequentemente custa o meu egoísmo.

Um tema para refletir: Sempre vale a pena restaurar os relacionamentos.
Uma questão para meditar: Com quem preciso restaurar meu relacionamento no dia de hoje.
Postar um comentário

Deixe aqui, seu recado, comentário, sugestão...

-->

O que um homem espera de uma mulher de Deus- Felipe Heiderich