sábado, 10 de agosto de 2013

17º,18º,19º dias



17º dia – Um lugar ao qual pertencer.
Eu sou chamado para participar, não somente para crer.
“Em Cristo, nós que somos muitos, formamos um corpo, e cada membro está ligado a todos os outros”
A igreja é um corpo, não um edifício; um organismo, não uma organização.
Fazer parte de uma igreja, me unir com outros irmãos, me ajuda a desenvolver músculos espirituais.
“À medida que cada parte realiza o seu trabalho, ela coopera para o crescimento das outras partes, para que todo o corpo esteja saudável, crescendo e cheio de amor”.
Cresço forte e mais rapidamente aprendendo com os outros e sendo responsável pelos outros. Quando os outros compartilham o que Deus os está ensinando, também aprendemos a progredir.

Um tema para refletir: Sou chamado para participar, não apenas para crer.
Uma questão para meditar: Meu nível de envolvimento em minha igreja local, com meus irmãos, demonstra que amo e estou comprometido com a família de Deus?

18º dia – Tendo uma vida em comum.
A vida foi feita para ser partilhada.
Deus quer que vivamos juntos. A bíblia chama essa experiência compartilhada de “comunhão”.
“Pois onde se reunirem dois ou três em meu nome, ali eu estou no meio deles”
A comunhão verdadeira é genuína, de coração para coração.
Todos somos mais constantes em nossa fé, quando outras pessoas caminham conosco e nos incentivam.
Na verdadeira comunhão, eu encontro a compaixão.
A compaixão alcança duas necessidades fundamentais em minha vida: A necessidade de eu ser compreendido e a necessidade de ter os meus sentimentos confirmados.
Na comunhão verdadeira, encontro a misericórdia.
Todos precisamos de misericórdia porque todos tropeçamos e caímos e precisamos de ajuda para voltar ao caminho.
“Quando as pessoas pecarem, vocês devem perdoá-las e confortá-las, para que não sejam vencidas pelo desespero”.
A misericórdia de Deus para conosco é um estímulo para mostrarmos misericórdia com os outros.
Lembro-me: Jamais me será pedido que eu perdoe alguém mais do que Deus já a perdoou.
Perdoar é esquecer o passado. Confiar tem relação com o comportamento futuro.
O perdão deve ser imediato, tenha ou não a pessoa pedido por ele. A confiança deve ser reconstruída com o transcurso do tempo.
Confiança exige antecedentes. Se me magoam repetidamente, Deus me ordena que eu perdoe imediatamente; mas não espera que eu volte a confiar imediatamente ou que continue permitindo que essas pessoas me magoem.

Um tema para refletir:
Preciso de outras pessoas em minha vida.
Uma questão para meditar: Que passo posso dar hoje para me unir de forma mais íntima e verdadeira a outro irmão que também creia em Deus?

19º dia – Cultivando a comunidade.
Comunidade exige comprometimento.
É necessário tanto o poder de Deus quanto o meu esforço para produzir uma comunidade amorosa.
Formar uma comunidade exige sinceridade. Eu devo ter uma grande dedicação em falar a verdade de forma carinhosa, mesmo quando preferir passar por cima de um problema ou desconsiderar um assunto.
A verdadeira comunhão, seja no casamento, seja na amizade, seja na minha igreja, depende da franqueza.
Franqueza não é uma licença pra eu dizer o que eu quero, onde quero e como eu quero. Não é grosseria.
Existe um tempo certo e um modo certo de fazer cada coisa. Palavras impensadas deixam feridas permanentes. Deus nos manda falar uns aos outros como carinhoso membros da mesma família.
Formar uma comunidade exige humildade. A humildade é um ungüento que acalma e suaviza as relações.
Formar uma comunidade exige cortesia. Sou cortes quando respeito nossas diferenças e sou cuidadoso com os sentimentos dos outros e paciente com as pessoas que me irritam.

Um tema para refletir: Comunidade exige comprometimento.
Uma questão para meditar: Como posso hoje ajudar a criar as características de uma comunidade verdadeira em meu grupo pequeno e em minha igreja?

Postar um comentário

Deixe aqui, seu recado, comentário, sugestão...

-->

O que um homem espera de uma mulher de Deus- Felipe Heiderich