segunda-feira, 5 de agosto de 2013

14º dia – Quando Deus parece distante.

Deus é real, independente de como eu me sinto.
A mais profunda adoração é louvar a deus independente da dor, dar graças durante a provação, manter a confiança Nele em meio a tentação, render-me a Ele durante um sofrimento e amá-lo mesmo quando Ele parecer distante.
Para amadurecer a amizade, Deus me testa com períodos de aparente separação – épocas em que sinto que Deus me abandonou ou esqueceu. Mas Deus prometeu que “Jamais me abandonará” e não que “sempre eu sentirei a sua presença”.
A onipresença de Deus e a manifestação de sua presença são coisas diferentes. Uma é um fato; a outra é frequentemente uma sensação. Deus está sempre presente, mesmo quando não percebo a sua presença, e a sua presença é muito profunda para ser medida por uma mera emoção.
Deus quer que eu sinta a sua presença mas Ele está mais interessado que eu confie Nele. Fé e não sentimentos agrada a Deus.
“nunca duvido na escuridão do que Deus me disse na luz”
Quando eu me sinto abandonado por Deus e mesmo assim mantenho a minha confiança Nele, a despeito dos meus sentimentos, eu o estou adorando da forma mais profunda.
Um tema para refletir: Deus é real, a despeito de como eu me sinto.
Uma questão para meditar: Como me concentrar na presença de Deus, especialmente quando Ele parece distante?
Postar um comentário

Deixe aqui, seu recado, comentário, sugestão...

-->

O que um homem espera de uma mulher de Deus- Felipe Heiderich