quarta-feira, 2 de novembro de 2016


Novembro Azul

Superando preconceitos:
um enfoque sobre a saúde masculina

 
Ter o dom da vida é um grande milagre dado por Deus, desde quando nascemos até quando já estamos com a idade avançada. É um privilégio vivermos. No entanto, precisamos focar a nossa atenção em nossa saúde e em cada etapa da nossa vida, pois passamos por mudanças biológicas e físicas a cada etapa que vivemos.
Quando pensamos na saúde masculina, faz-se necessário destacar a atenção que esta merece, principalmente a partir dos quarenta anos de idade.
Cada fase de nossa vida deve ser desfrutada ao máximo possível, não nos esquecendo dos riscos e cuidados que cada uma delas merece. Pensando nisto, gostaria de abordar os cuidados especiais que nós, os homens, precisamos ter com a nossa saúde relacionada à área urológica.

Base bíblica: Deus nos quer saudáveis
A Bíblia Sagrada, nosso manual de vida material e espiritual, mostra que, desde o Egito, Deus usou homens como Moisés, para nortear a população da época no que se refere à saúde pessoal e pública. A meu ver, Moisés foi um dos primeiros sanitaristas, pois em um lugar inóspito e agressivo à vida, como o deserto, conduziu uma multidão de homens, mulheres e crianças. Deus deu a ele habilidades e conhecimentos para orientar a população nessa circunstância.
O apóstolo João, em sua Terceira Carta, demonstra preocupação com a vida espiritual, bem como com a vida física, ou seja, a saúde dos irmãos de sua época. Ele intercede para que os cristãos tenham boa saúde.  Amado, oro para que você tenha boa saúde e tudo corra bem, assim como vai bem a sua alma.
A Palavra de Deus contempla o ser humano em todas as suas esferas, pois o vocábulo salvação tem sua origem no termo grego "soteria", transmitindo a ideia de cura, redenção, remédio e resgate. No latim encontramos o vocábulo "salvare" que significa salvar, e também de "salus", que significa ajuda ou saúde. Na Terceira Epístola de João, 1:2, o termo boa saúde aparece significando "estar saudável". Sabemos, porém, que estar saudável o tempo todo é impossível, pois a cada momento nosso biológico está em transformação e se defendendo de todo tipo de agressão. Mas, focando especialmente a saúde masculina, temos de nos preocupar mais conosco à medida que o tempo passa, pois algumas doenças podem aparecer. E isso não é nada agradável.

Entendendo o problema
A partir dos 40 anos, é de fundamental importância que o homem cuide de sua vida urológica, buscando assim prevenir um dos grandes males da saúde masculina, o chamado câncer de próstata. São recomendados exames de rotina (uma vez por ano) a partir dos 45 anos para aqueles que não têm casos familiares de câncer, e de 40 anos para os que, entre seus familiares, possuam algum caso ou indício.
 A próstata é uma glândula masculina que se localiza entre a bexiga e o reto. Essa glândula participa da produção do sêmen, líquido que carrega os espermatozoides produzidos no testículo. Ela envolve a uretra e seu tamanho normal é de uma azeitona. A próstata, como todo o aparelho sexual masculino, tem o seu funcionamento regulado pelos níveis de testosterona circulantes, o hormônio masculino.
Na próstata costuma ocorrer o câncer, sendo esse o sexto tipo mais comum no mundo e o de maior incidência nos homens.
Cerca de três quartos dos casos no mundo ocorrem em homens com mais de 65 anos. Quando diagnosticado e tratado no início, tem os riscos de mortalidade reduzidos. No Brasil, é a quarta causa de morte e corresponde a 6% do total de óbitos por este grupo.
Segundo estimativa da pesquisa "Incidência de Câncer no Brasil em 2010/11", realizada pelo Instituto Nacional do Câncer, a população masculina do Rio Grande do Sul deve ser a que apresentará maior número de casos de câncer de próstata até o final do ano 80, para cada 100 mil homens.
 Na maioria dos homens, o câncer de próstata não apresenta qualquer dor ou sintoma na fase inicial de desenvolvimento da doença. Entretanto, alguns homens podem sentir os seguintes sinais:

SINTOMAS
  • Jato de urina muito fraco ou reduzido;
  • Necessidade frequente de urinar,
        especialmente à noite;
  •  A sensação de que sua bexiga
        não se esvaziou completamente
        e ainda persiste a vontade de urinar.
  •  Dificuldade de iniciar a passagem da urina.
  •  Dificuldade de interromper o ato de urinar.
  •   Urinar em gotas ou jatos sucessivos.
  •  Necessidade de fazer força para manter
        o jato de urina.
  • Necessidade premente de correr
        ao banheiro – pode, inclusive, ocorrer
        que a urina vaze antes que
        chegue ao banheiro.
  • Sensação de dor na parte baixa das
       costas ou na pélvis (abaixo dos testículos).

Sintomas menos comuns incluem:
  • Dor durante a passagem da urina;
  • Dor quando ejacula;
  • Dor nos testículos.
Todavia, o exame preventivo independe
destes sintomas, pois deve ser preventivo.
Em alguns casos também não existem sintomas
.
Homens mais jovens também podem ser afetados, mas são casos raros. O risco de desenvolver câncer de próstata aumenta com a idade. Mas o histórico familiar também é importante. Se um parente próximo (pai ou irmão) tem câncer, é necessária maior atenção e controle. Os riscos aumentam ainda mais caso um parente próximo tenha sido diagnosticado com câncer com idade inferior a 60 anos.
Segundo pesquisas americanas, homens da raça negra têm mais câncer de próstata que homens da raça branca, e mais que homens de origem oriental. Quanto mais precocemente se diagnostica um tumor, maiores são as chances de cura. Sendo descoberto no início, as chances de cura são de 90%.
Os exames mais comumente realizados para se detectar esse tipo de câncer, precocemente ou não, são o toque retal, o exame de ultrassonografia transretal e o exame de PSA (antígeno prostático-específico). O estudo "Saúde masculina: o homem e o câncer de próstata" foi realizado em Belo Horizonte, Belém, Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, São Paulo e Distrito Federal, entre os dias 2 e 7 de outubro de 2009. 

      Preconceito
 
Se estamos falando sobre uma doença tão séria, por que os homens não fazem o exame? A resposta pode estar no preconceito e machismo. O levantamento mostrou que 77% concordam que os homens não fazem exame de toque retal por puro preconceito e 54% percebem que os homens têm medo do exame. Mas, quando questionados sobre a não realização do exame, apenas 8% admitem preconceito em relação ao toque, enquanto 13% afirmam descuido, preguiça, relaxo e falta de tempo.

    Ninguém vai dizer que é preconceituoso, pois não é politicamente correto, mas, se deixássemos de lado  o preconceito, talvez estivéssemos indo mais ao médico. "O problema é que o homem foi educado para ser Super-Homem. Para eles doença é sinal de fragilidade" - explica o Dr. Schubert, autor da pesquisa.
Sobre o exame realizado para diagnóstico do câncer de próstata, dados da pesquisa mostraram que 47% dos homens já fizeram o PSA (exame sanguíneo) e 54% têm conhecimento de tal exame. O coordenador Schubert, no entanto, reforça que para detectar o câncer de próstata é importante fazer os dois exames, tanto o PSA, quanto o exame de toque. Apenas os dois testes conjugados vão poder ajudar a verificar a presença de um problema na próstata ou a ausência dele. 

Prevenção e cura
Uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais e com menos gordura, principalmente as de origem animal, ajuda a diminuir o risco do câncer. Especialistas recomendam pelo menos 30 minutos diários de atividade física, procurando manter o peso adequado à sua altura.
Quantas vezes levamos nossas esposas e filhas ao médico para exames preventivos (mamografias), porém sempre adiamos a nossa vez.
É crescente o número de homens que, quando procuram o médico, já estão em estado avançado de certas enfermidades. Nessa hora ouvem o médico dizer: "Você deveria ter feito o exame preventivo há 10 ou 15 anos... Agora só nos resta administrar o problema advindo da enfermidade." Quantas pessoas, à nossa volta que, se tivessem realizado os exames preventivos, teriam tido grandes chances de cura de suas enfermidades.
Somos educados a cuidar bem de nossa vida espiritual. E, às vezes nos envolvemos tanto nessa área que nos esquecemos de nossa vida física e da saúde. Usando as palavras de João: "Amado, oro para que você tenha boa saúde e tudo corra bem, assim como vai bem a sua alma".
Precisamos conhecer melhor nosso corpo, "o templo do Espírito Santo" e procurar, na medida do “possível”, cuidar bem de nossa saúde como cuidamos de nossa alma.
Pense em sua família. Quantas esposas e filhos hoje são privadas da presença do sacerdote do lar devido à falta de um simples ato que poderia ter sido tratado há anos.
Para o médico, os exames são simples rotina. Deixe de lado todo preconceito. Falham aqueles que não valorizam sua saúde para trabalhar, para viajar, para estudar... Pode ocorrer que seu médico apenas lhe receite alguns comprimidos preventivos e isso ajudará a manter firme sua saúde, reduzindo os riscos e lhe dando maior qualidade de vida.
Que Deus me ajude e que Deus nos ajude nessa mudança de mentalidade.
créditos à: http://www.iprb.org.br/artigos/textos/art200_249/art224.htm 
Postar um comentário

Deixe aqui, seu recado, comentário, sugestão...

-->

O que um homem espera de uma mulher de Deus- Felipe Heiderich